segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Chá verde, benefícios e cuidados







Benefícios e Cuidados. Bem usado pode ser muito benéfico mas, lembre-se, o que cura também mata!!!!!!
 
 
 
 
 
As mil e uma virtudes do chá verde
As virtudes medicinais do chá são de conhecimento milenar, especialmente seu efeito estimulante. Mas hoje, a ciência está comprovando suas propriedades terapêuticas e cosméticas. E isso está acontecendo com o chá verde (também conhecido como banchá), considerado atualmente um aliado da saúde por ser rico em flavonóides - substâncias antioxidantes que ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular precoce. Também está comprovado que o chá verde ajuda a diminuir as taxas de colesterol e ativa o sistema imunológico. As virtudes do chá verde na prevenção do câncer, já muito divulgadas atualmente, vêm do fato de que ele é rico em bioflavonóides e catequinas, substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores.
Além de conter manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C, K, B1 e B2, ajuda a prevenir doenças cardíacas e circulatórias por conter boa dose de tanino: o consumo diário desse chá diminui as taxas do LDL (colesterol que faz mal à saúde) e fortalece as artérias e veias.
Mas as boas notícias não acabam aí: está comprovado que o chá verde acelera o metabolismo e ajuda a queimar gordura corporal. Um dos estudos foi realizado na Suíça com três grupos de pessoas que seguiram a mesma dieta. O resultado: o grupo que recebeu chá verde teve aumento de 4% na velocidade de combustão das calorias no organismo e de 5% na queima de calorias em relação aos outros dois grupos pesquisados. Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, demonstrou que extrato de chá verde - que possui altas concentrações de antioxidantes como catequina, polifenóis e muitos outros compostos incluindo cafeína - pode aumentar a utilização de energia muito acima dos efeitos da cafeína pura.
Pesquisadores acreditam, ainda,que o hábito de beber chá em vez de café é um dos fatores responsáveis pelo menor índice de infarto em países do Oriente. E como se não bastasse, comprovou-se também que as substâncias presentes no chá verde ajudam a prevenir cáries, têm ação antiinflamatória e antigripal, ativam o sistema imunológico e regeneram a pele. Os princípios curativos e regeneradores da Camellia sinensis enriquecem os cosméticos que prometem recuperar o viço da pele e dos cabelos. Tanto que as indústrias de cosméticos incluem os extratos das folhas em fórmulas de produtos como cremes e loções. Substâncias presentes na Camellia sinensis também dissolvem gorduras e são eficazes no tratamento de celulite e gordura localizada.
E para e pele mais um benefício: por ser rica em tanino, substância com propriedades anti-séptica e adstringente, a planta é indicada também para limpar e equilibrar peles oleosas. Na edição de 3 de março de 2004, a Revista Veja publicou uma matéria anunciando a mais recente novidade que aumenta a lista de benefícios do chá verde. Ainda na área da dermatologia, a novidade é que o chá verde pode proteger contra os efeitos nocivos do sol. Segundo a revista, "o assunto foi um dos mais comentados do último congresso da Academia Americana de Dermatologia, por causa de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Nova Jersey". Eles descobriram que o chá, transformado em creme, melhora o sistema de defesa das células da pele contra os raios ultravioleta do tipo B, aqueles responsáveis pelo vermelho-pimentão. Ao reduzir a inflamação causada por essa radiação, o chá verde aumentaria a proteção contra o câncer de pele. A descoberta pode ser o ponto de partida para a produção de uma nova família de loções.
A planta, como ela é...
Planta perene, do tipo arbustiva, a Camellia sinensis pertecente a família das Teáceas (Theacea). Originária do sudeste asiático, a planta produz economicamente por mais de 50 anos. No Brasil o arbusto é cultivado principalmente na região do Vale do Ribeira, no Estado de São Paulo, onde é utilizado para fazer chá preto.
A propagação da planta se dá preferencialmente pela via vegetativa, ou seja, por meio de estacas. A estaca para reprodução deve possuir uma folha desenvolvida e sua respectiva gema auxiliar com 3 a 4 cm. A extremidade do ramo deve ser cortada em bisel, isto é, na diagonal.
As folhas mais jovens e os gomos da Camellia sinensis - parte da planta utilizada na produção do chá comercial - são cobertos por uma fina cobertura branca e sedosa, semelhante a uma penugem que, mais tarde, desaparece. Ao que se sabe, é esta cobertura que dá origem ao nome pelo qual é conhecido o gomo terminal: "pekoe", da palavra chinesa pak-ho, que significa cabelo ou penugem.
As flores da planta são pequenas, brancas, geralmente com 4 ou 5 pétalas, aromáticas e aparecem nas axilas das folhas em grupos de 2, 3 ou 4. O fruto é uma cápsula com 2 ou 3 cm de diâmetro. Dada a grande dispersão que a planta sofreu desde o início do seu cultivo até aos nossos dias e a livre hibridação entre os vários tipos geográficos, não tem sido fácil para os botânicos a descrição das variedades existentes.
E para quem pretende saborear esta bebida que já esta sendo considerada medicinal, vale lembrar: até a simplicidade do chá não dispensa alguns pequenos cuidados especiais. Recomenda-se guardá-lo bem acondicionado em local fresco e seco e, na hora do preparo, passar água fervente no bule e nas xícaras Para o chá verde, especialistas aconselham que a água esteja um pouco abaixo da fervura e, de preferência, nada de acrescentar açúcar. Preparar a bebida é simples: faça uma infusão com uma colher de sopa rasa da erva para cada xícara de água "quase" fervente.
 
-------------------------------------
Consumo de chá verde exige cautela, afirma nutricionista
ALESSANDRO REIS
da Revista da Hora
Extraídos da mesma planta, a Camellia sinensis, os chás verde e branco ficaram populares devido às suas funções terapêuticas, como a prevenção contra diversos tipos de câncer, ao seu poder emagrecedor e outras coisas. Essas bebidas, porém, exigem cautela ao serem consumidas, pois os benefícios podem, literalmente, virar dor de cabeça.
"Os chás verde e branco são alimentos funcionais, pois nutrem e combatem doenças. Para aproveitá-los corretamente, é preciso ficar de olho na dosagem e nas características do organismo de cada um", diz a nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional. Ela recomenda buscar orientação médica antes de ingerir esses chás. "As pessoas pensam que podem bebê-los indiscriminadamente, e isso não é verdade", alerta.
Um dos principais cuidados em relação a essas bebidas é a existência de cafeína em sua composição. A substância, também presente no café, pode aumentar a pressão arterial e causar problemas como taquicardia, dor de cabeça e náuseas.
"Como aceleram o metabolismo, esses chás não são indicados a pessoas com problemas cardíacos ou hipertensos. Também devem ser evitados por grávidas e lactantes. A cafeína pode afetar o bebê", salienta a farmacêutica Paula Viñas, da farmácia Fitobrasilis. Casos de insônia, gastrite, problemas renais, hipertireoidismo, ansiedade e taquicardia são incompatíveis com os chás.
Indivíduos com deficiência de ferro no organismo também devem evitar essas bebidas. "Elas contêm tanino, substância que inibe a absorção do mineral", afirma Roseli. Segundo Paula Viñas, quem faz uso do remédio doxorrubicina deve ser monitorado. "Os chás potencializam o efeito desse medicamento."
Saiba consumir os chás verde e branco
Benefícios
Extraídos da planta Camellia sinensis, os chás verde e branco possuem níveis concentrados de catequinas e polifenóis, substâncias que agem na prevenção do câncer. Também combatem os radicais livres, protegendo as células e retardando o envelhecimento com mais eficiência que as vitaminas C e E. Além disso, esses chás ajudam a emagrecer, fortalecem as veias e as artérias e reduzem os teores de colesterol ruim.
Diferenças entre os chás verde e branco
Enquanto o chá verde tem as folhas aquecidas e secas, resultando na oxidação dos seus componentes, o chá branco é elaborado a partir do broto da Camellia sinensis e não passa por esse processo, assegurando uma concentração maior dos princípios ativos. Os chás Oolong e preto também derivam da mesma planta, mas seus benefícios são menos evidentes.
Cuidados
- Os chás verde e branco contêm cafeína, que eleva a pressão arterial. Por isso, não são recomendados a hipertensos, gestantes ou lactantes. Consulte um profissional de saúde para avaliar se você está apto ao consumo.
- O consumo exagerado pode causar sintomas como taquicardia, náusea, dor de cabeça e problemas gastrointestinais. Para garantir os benefícios e evitar os problemas, recomenda-se beber três ou quatro xícaras diariamente.
- Prepare corretamente. Ferva a água, apague o fogo e dilua duas colheres de chá em uma xícara de chá. Deixe o recipiente tampado de cinco a dez minutos, em ambiente escuro, antes de servir. O chá não deve ser reaquecido e pode ser guardado por até 12 horas em locais sem luz.
- Os chás verde e branco contêm tanino, que inibe a absorção de ferro. São contra-indicados para pessoas com deficiência desse mineral. Também deve ser evitado o consumo com leite, alimento que pode inibir o efeito antioxidante dos chás.
- Pacientes que fazem uso do medicamento doxorrubicina devem ser monitorados, pois esses chás potencializam seu efeito.

Fontes: nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional; e Paula Viñas, farmacêutica da farmácia Fitobrasilis.

------------------------------------------------------------------------------

http://www.bemleve.com.br/saude/cha-verde/54

 

CHÁ VERDE

Por Isabelle Lindote
isabelle@bemleve.com.br

Todo ano os cientistas descobrem novas propriedades em alimentos que antes não eram levados tão a sério. Vilões da boa forma ontem podem virar aliados da vida saudável amanhã, claro que em quantidade limitada. Café, abacate, ovo e chocolate já passaram por pesquisas que encontraram efeitos positivos para o organismo. Por isso, quando, há cerca de dois anos, o chá verde surgiu como o novo queridinho da dieta, muita gente aderiu sem pensar. Mas você sabe tudo que essa plantinha pode fazer por você?

Apesar de tudo que já foi dito, ainda pairam muitas dúvidas no ar. Afinal, tudo na vida tem prós e contras, não é mesmo? Poucas pessoas sabem que o chá verde possui cafeína, que em excesso pode provocar dores de cabeça, distúrbios do sono e hipersensibilidade. Por isso, saber o quanto tomar, em quais momentos do dia e de que maneira é essencial para a saúde.

Para esclarecer mais sobre o assunto, entrevistamos duas especialistas em nutrição, Raquel Maia Chaves e Thais Siqueira de Moraes, sócias-proprietárias da Dhamma Consultoria em Alimentação.

1) Quais são os benefícios do chá verde para a saúde?
O chá verde é rico em catequinas, um tipo de flavonóide com propriedades antioxidantes. Elas são "seqüestradoras" de radicais livres, substâncias prejudiciais ao organismo. Uma pesquisa realizada na Universidade de Tohoku (Japão) mostra que a erva é eficaz na prevenção de doenças cardiovasculares e de determinados tipos de câncer. Seus compostos fortalecem as artérias, diminuem as taxas de colesterol ruim e bloqueiam o acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos.

2) Qual é a quantidade ideal a ser consumida por dia (em xícaras de chá)?
Ainda não existe um consenso sobre o assunto. Especialistas em fitoterapia apontam que quem bebe cinco xícaras por dia tem 16% menos chance de desenvolver doenças cardíacas. Há uma corrente que defende a ingestão diária de um litro de chá verde (seis ou sete xícaras) para obter o mesmo efeito e ainda prevenir o câncer. Essa dose é limite e não deve ser ultrapassada, pois o excesso pode causar efeitos colaterais, como insônia e manchas nos dentes.

3) É verdade que não é bom beber chá verde após às 17h? Por quê?
Os chás tipo mate, preto e verde são bebidas estimulantes, por isso devem ser evitados no período da noite.

4) Há contra-indicações quanto ao consumo?
Assim como qualquer outro alimento que possua cafeína, o chá verde deve ser evitado por pessoas hipertensas, agitadas ou com problemas cardíacos.

5) A versão em cápsulas pode ser consumida sem ordem médica?
A cápsula é uma boa opção para quem não tolera o sabor do chá, pois conserva todas as suas propriedades antioxidantes. A quantidade ideal de consumo é 500 mg, de uma a três vezes por dia. Mesmo tratando-se de um produto natural, essa versão deve ser consumida com orientação médica. As cápsulas são contra-indicadas para gestantes, mulheres que estejam amamentando e pessoas com disfunções na tireóide, insônia ou que façam uso de anticoagulantes.

6) Há problema em consumir chá verde misturado com outros sabores?
Essa tática é válida para deixar o chá verde mais gostoso e não altera suas propriedades terapêuticas. Combiná-lo com outras ervas, como cidreira, hortelã e erva-doce é uma boa opção. Outra alternativa é misturar cascas de frutas à bebida pronta, como abacaxi, manga ou maçã,

7) É melhor beber chá verde quente ou gelado?
Não faz diferença, a questão principal é prepará-lo da maneira correta. Ponha água para ferver e, assim que surgirem as primeiras bolhas de ar, apague o fogo. Acrescente a erva e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar. O ideal é usar duas colheres de sopa para um litro de água, mas comece com apenas uma colher até se acostumar com o sabor do chá.

  Enviado por Maria Luíza/BA

Nenhum comentário: